quinta-feira, 15 de dezembro de 2016

Novos CD, DVD e turnê do a-ha

A-ha gravará acústico em junho do ano que vem. CD e DVD saem em novembro. Em janeiro e fevereiro de 2018 tem turnê pela Alemanha, Suiça (Zurique) e Áustria (Viena).

http://a-ha.com/news/articles/acoustic-evening/

terça-feira, 13 de dezembro de 2016

A-ha na mídia norueguesa sobre possível turnê

A matéria abaixo fala justamente de uma possível turnê em formato de acústico. E a própria matéria diz que se espera um comunicado oficial!!! (esse jornal é um jornal impresso norueguês conceituado, assim como O Globo, Folha, Estadão...)

sábado, 26 de novembro de 2016

Notinhas

Morten na Suécia no último dia 26 em prêmio discursando sobre questões  humanitárias.

Mags hoje - postada em seu próprio Instagram

https://t.co/qiTd3A9H7N

https://t.co/sKoG2FXASJ

domingo, 9 de outubro de 2016

sábado, 10 de setembro de 2016

Paul e Magne em trabalhos solo



Paul e Magne seguem com seus planos solo.

O Paul vai lançar em 24/02/2017 um álbum em conjunto com a cantora Zoe Gnecco que se chamará Waaktaar & Zoe. Os dois se conhecem há tempos, moram em Nova Iorque  e agora algo concreto resultou em parceria musical.

Magne também está com uma parceria, mas, nas artes plásticas, uma parceria Real, a rainha da noruega Sonja. A exibição consiste em um portfólio com 10 impressões de cada um numa edição de sessenta.

Mais informações na página oficial do a-ha em:

http://a-ha.com/news/articles/waaktaar-zoe-signs-drabant-music/

http://a-ha.com/news/articles/hm-queen-sonja-and-magne-furuholmen-texture/

quarta-feira, 27 de julho de 2016

segunda-feira, 18 de julho de 2016

Mags em férias...

Veja o que ele postou em seu próprio Instagram! ;-)

http://mymagnef.blogspot.com.br/2016/07/mags-em-ferias.html

Entrevista dada pelo Morten há uma semana a um jornal alemão

Você às vezes se sente farto por ser uma estrela pop?


Na sua autobiografia divulgada o cantor do a-ha disse que ele era um jovem estranho que amava as flores e as borboletas. Perante as meninas ele era tímido e era intimidado pelos colegas de classe.
As pessoas não o veem assim, MH tem 56 anos e um tipo de um garoto de praia norueguês, casual, pensativo. Uma melancolia alegre que mais uma vez muda em sus olhos e sua boca. Ele que tem uma voz aveludada. No começo da entrevista está cético, esperava, por ainda não saber o que viria à sua frente, uma mídia sangrenta um jornalista pouco amigável.



Difícil acreditar que você era provocado na escola, que seus colegas de classe te batiam, te davam socos na barriga. Isso realmente muitos fãs não sabiam...

Como poderiam. Minha imagem de ídolo adolescente foi a mídia que criou. As pessoas tem um pouco de influência nessa imagem. Apenas o fato de ser famoso gera dúvidas, cria-se uma fachada que é deslumbrante. As pessoas, nós todos, temos uma certa ânsia disso, idolatrar ou admirar alguém que parece maior que a vida. Isso parece errado, mas restringe a visão da pessoa.

Você quer, com o seu livro, esclarecer que o a-há é mais que um fenômeno; que você, Mags e Paul são artistas de verdade. Essa é a impressão que as pessoas têm ao ler seu livro. Ter o enorme sucesso igual ao primeiro single Take on me impediu-os de se tornarem a banda que queriam?

Isso acontece quando você é uma estrela pop. De repente você é ameaçado a se afogar em uma implacável onda que precisa de muita atenção. Parece avassalador.

Soa como um tsunami ...

Não há nada mais perigoso do que um bando de adolescentes histéricas, todas que estão e partem de um mesmo lugar. É o mesmo como se a multidão exigisse: Matá-lo, soltá-lo! Existem poucas oportunidades para interagir com a multidão. Os meios de comunicação fazem intermédio, e  há algum fogo na multidão até à catástrofe chegar. É um contraste para se comunicar através desta parede de histeria é um desafio para uma banda. Tentamos com a nossa música.

Alguma vez você já fez?

Isso não depende apenas de nós, mas também em você como um fã. Se você está pronto para ver mais em nós do que a banda de "Take On Me” -. Ou se você não quiser. Para mim como um artista, ou o que eu sou, para torná-lo curioso, você se interessa por mais mentiras. Se eu falhar esta comunicação não funciona. O a-ha tem conseguido todos esses anos tocar as pessoas novamente e novamente. É por isso que estamos aqui ainda. Muitos fãs têm visto mais em nós, mas nós temos não pudemos ouvi-los por um tempo nesta fábrica pop em que era mais sobre a nossa aparência do que as canções.

Eles descrevem os fãs nos anos oitenta como uma "parede de gritos" e "massa". O livro diz que as maçanetas das portas de suas limusines estavam sempre bem trancadas para protegê-lo. É verdade?

Não, isso não é verdade. Eu negligenciei esse erro durante a revisão. O livro tem um co-autor, ele foi escrito com base em entrevistas. Eu fui ingênuo de pensar que isso funciona. Eu finalmente sentei-me por semanas, porque tive que reescrever capítulos inteiros. Cada página eu melhorei mais ou menos. Mas, novamente, a culpa é minha. Tenho dado entrevistas o suficiente para saber o que pode dar errado.

No entanto, ideia interessante, a dos puxadores das portas que funcionam como uma cerca elétrica ...

Sim, não é uma má ideia. O que nos diferencia é a nossa capacidade de colocar as coisas em questão. Mas uma multidão de pessoas e um rebanho de animais se comportam de forma semelhante quando eles saem do controle. Não sabemos. É por isso que a principal tarefa da nossa segurança é de prestar atenção a nós e cuidar dos fãs, para protegê-los de si mesmos.

Você ainda se sente assediado?

Eu perdi minha privacidade para sempre.


Você nunca pode comprar leite sem ser detectado?

Às vezes eu posso. Mas eu nunca sei quando.

Você sai disfarçado na rua?

Não. Eu tento estar sempre em movimento. Não é uma boa ideia parar em algum lugar, porque isso daria às pessoas tempo para chegar a mim. Quando me veem, elas precisam de alguns segundos para me reconhecerem. Este é o momento que eu tenho que voltar a desaparecer. Há fãs amigáveis, mas  rapidamente se torna um lote inteiro. Eu não tenho tempo para isso.

Você comprou para o seu pai, como forma de amor e gratidão, parte dos direito autorais de Take on me. O que ele te ensinou?

Respeito. Comparando com outras pessoas, de todas as criaturas vivas, a própria vida. E disciplina. Fama e fortuna não me impressionam, e eu aprendi com eles. Mostrando-me o que é importante na vida.

Você educa os seus cinco filhos assim também?

Essencialmente sim. Porque existem valores fundamentais da vida.

Seu livro termina em 26 de Janeiro 1991, no Maracanã, no Rio de Janeiro. O a-ha tocou diante de 195 000 fãs. Vocês eram uma das maiores estrelas da música pop dos anos oitenta. Você, lá, no palco, sentiu um forte desejo de mudança. O que significa isso? O que foi diferente neste momento do menino que você canta em "Living a boy’s adventure tale"?

O menino em mim não estava indo embora, mas senti uma certa força, a confiança, eu estava ciente de que é bom para mim e que eu não era capaz de dizer não, e de um sentimento de convicção mais profunda. Ser adulto significa que você pode assumir a responsabilidade por si mesmo e suas decisões. Você tem mais acesso à sua própria vida. A separação do a-ha em meados dos anos noventa, o divórcio de minha esposa, a necessidade de me expressar através de minhas próprias composições, todos os quais podem ser atribuídos a este momento no palco no Rio.

Por causa do stress e tudo o que você passou nos anos 80... É por isso que, hoje você tem um curandeiro? O que ele faz?

Como o nome sugere. Um curandeiro se  preocupa com um problema ou um desafio que você não vai conseguir passar, porque você não tem tempo para isso, ou não sabe o que fazer.

Ele está por perto?

Não, isso funciona bem por telefone. Eu tive-o durante 16 anos, e por uma razão: porque funciona. Eu não sei como ele faz isso. Eu não sei por que tem esse efeito sobre mim. Tudo o que sei é que realmente acontece.

Quando você pede ajuda?

Há milhares de pessoas que se dizem curandeiros hoje. Eu não posso falar deles, mas das minhas experiências com meu curandeiro. Em turnê para mim é fundamental todos os dias eu tenho que estar no palco à noite e cantar, entregar tudo. Isso exige disciplina.

Você tem medo de ataques terroristas? Será que o ataque ao concerto dos Eagles of Death Metal em Paris influenciou seu comportamento? Sente agora inseguro no palco?

Não. Nós não ficamos nervosos. Aprendemos a viver com esta ameaça. Você pode ter a ideia de embarcar em um avião, ele pode falhar, mas isso seria extremamente estressante. O mesmo se aplica a ataques terroristas. Pode acontecer uma coisa dessas? Sim,  pode. Mas se você deixa o medo tomar conta de sua vida ele iria impedi-lo de fazer as coisas



Sobre o a-ha

Não era uma decolagem vertical, mas uma ignição tarde: "Take On Me" apareceu pela primeira vez no outono de 1984. O grupo norueguês vendeu supostamente apenas 300 cópias de seu single de estreia.

Apenas pouco menos de um ano depois Harket, Magne Furuholmen (teclados) e Pål Waaktaar-Savoy (guitarra) chegaram ao topo das paradas - com a segunda versão da música. A banda provou que os escandinavos têm um talento especial para inflamar a música pop global. De repente as pessoas amaram "Take on me" .


80 milhões de álbuns vendidos

Até agora mais de 80 milhões de álbuns vendidos, os noruegueses estão entre os grupos pop mais populares do mundo. "Scoundrel Days", o segundo álbum, de 1986, Harket  chama de "o disco que queríamos realmente fazer". Ele contém talvez a melhor música do a-ha, "Manhattan Skyline.

Com 56 anos de idade, ele mesmo, um pai de cinco filhos, cresceu com três irmãos e uma irmã em uma casa aberta, liberal. Seu pai era um médico, sua mãe uma professora. "Meu pai quis que aprendêssemos a tocar qualquer instrumento musical."

Sua gentileza, evidentemente, tem seus limites: "Nós nunca gritamos um com ooutro", Harket descreve a relação com os seus amigos do a-ha Magne e Pål. "Nos tornamos bastante passivos-agressivos - três indivíduos fortes, teimosos que sabiam o que queriam, e se recusavam a desviar-se de suas posições." Portanto em 1993, após seu quinto álbum "Memorial Beach" pela primeira vez fez dar uma pausa. "É impressionante como a fama o separa de todos os outros", diz Harket, que nunca foi  feliz em ser uma estrela pop.
A história a-ha é marcada por pausas e retornos. O grupo nunca se separou – nem em 2010, quando fez seu último concerto em Oslo depois de 25 anos, e nem mesmo agora, depois de seu décimo álbum "Cast in Steel" e a turnê europeia que acaba de terminar. "Quem sabe o que aconteceu", diz o cantor. "A-ha é sempre uma parte importante da minha vida."


Por Mathias Begalke

sábado, 9 de julho de 2016

sábado, 25 de junho de 2016

sexta-feira, 3 de junho de 2016

quinta-feira, 19 de maio de 2016

quarta-feira, 11 de maio de 2016

Férias ao a-ha e presente aos fãs

A turnê do a-ha - Cast in Steel Tour - terminou no último dia 07 (sábado) na Noruega. Agora os meninos devem se dedicar a projetos solos, Paul deve lançar um novo CD com sua outra banda Savoy. E vamos esperar o que vem de Morten e Mags.

Não há o fim da banda, mas também não há pressão em lançar outro CD ou sair em turnê.
Enquanto isso, vamos curtindo o novo clipe da banda - Objects in the mirror:

https://www.youtube.com/watch?v=XMf4lh17duM&feature=youtu.be

sábado, 30 de abril de 2016

segunda-feira, 25 de abril de 2016

Morten e Mags em videos

Morten e Mags postaram um vídeo aos fãs, cada um o seu, na semana passada. Para assistir clique em:

https://t.co/2oEyX5KM1B

https://t.co/7VzHgkGYxF

O a-ha continua em turnê pela Alemanha e no dia 07 será o último show em Bergen, na Noruega.
No próximo final de semana a banda já fara shows na capital de seu país natal.

terça-feira, 12 de abril de 2016

domingo, 10 de abril de 2016

Entrevista com o Morten e A-ha na Alemanha

Morten deu uma entrevista na Alemanha que saiu hoje na qual ele desabafa falando sobre saúde e sobre querer para com o a-ha para curtir mais a vida, andar descalço. A entrevista foi postada em português e alemão no Facebook e reproduzida aqui  (fotos estão abaixo - assim como fotos do a-ha ontem em Nuremberg na Alemanha):

Entrevista Morten harket 9;4 2016
SonntagsBlick: Você é 56 e olhar deslumbrante. Como isso funciona?
Morten Harket: zero drogas, zero de álcool. Foi sempre assim. Eu também tenho um curador há 15 anos. Ele às vezes acompanha-me mesmo quando viajam.
Como curador?
Eu sei que o mundo está cheio de curadores, a maioria deles são charlatões. Eu acho que geralmente inconsciente de tais tipos. Mas meu curandeiro é único.
Como assim?
Através dele eu aprendi a prestar atenção ao meu corpo e minha alma, seja no amor ou comer. Mas ele também cura desconforto físico. O nosso sistema é muito complexo. Não pode arrumar tudo. O corpo nos dá sinais quase constante só nós percebemos o mínimo.
Mais especificamente, por favor!
A maioria de nós estão empanturrados e completamente embotados. Nós tornaram-se surdo aos pequenos gritos de nosso corpo. Nós empinar coisas em nós que devemos estar em nosso sistema nunca - por força do hábito, conveniência, porque nós são seduzidos pela publicidade. Meu terapeuta me ensinou a encontrar o equilíbrio. Hoje eu posso, por exemplo, já reconhecido pelo cheiro do café, se é bom para mim ou não.
Comer carne?
Sim, e não muito apertado. Embora me Butchering desgostos mais violentos. Toda esta abundância é um problema enorme. E eu gosto realmente deixar de ser parte dela. Mas nós temos um monte de outros desafios que temos de enfrentar. Nós, seres humanos precisam mudar muito.
Que desafios você fala?
A humanidade nunca foi tão dependente como é hoje: a riqueza de informação, o entretenimento constante. Horror! O que aconteceria, por exemplo, se tivéssemos mundo de repente apagão?
Diga-nos ...
A humanidade giraria, sair do caos total. O planeta estava antes do colapso. Cem anos atrás, ninguém se incomodaria grande, porque se não tivesse havido um par de dias sem eletricidade.
Sem eletricidade, você também não podia dar mais concertos.
Esse seria o menor problema! Capítulo A-ha está acabado para mim de qualquer maneira. Eu tive anos maravilhosos com esta banda. Mas depois dessa turnê é provavelmente conclusão final. Nós três nós simplesmente não estão perto o suficiente para produzir novas placas, constantemente viajando ao redor do mundo e dar concertos.
Dado ainda seria não tem amigos próximos, certo?
Não, mas trabalhando com o a-ha tem que encher-me como as pessoas espirituais. E ela não faz mais. Talvez a coisa toda levou mesmo apenas a partir dos últimos 30 anos.
Por causa do dinheiro que você não iria ficar juntos?
Oh, eu tenho sido recompensado o suficiente por a-ha. Eu tenho que fazer mais nada, eu não necessariamente quer.
E a glória que você não iria perder?
No segundo! Jogando com sucesso e poder nunca me interessou. Eu olho não gosta na TV. Eu não gosto do cara com o microfone. Aliás: Qual deve ser tão grande sobre ele, se você passar horas no hotel tem que esconder, porque fora gritando Centenas de fãs? I conhecer pessoas, em vez de individualmente em massas. Mas a embarcar individualmente em cada, a minha capacidade emocional, o tempo está em falta. Finalmente estou apenas um homem.
Morten Harket enterra a cabeça entre as mãos. Então, ele toma um gole de água. E sorri. A cantora tem apenas (Editor: Edel) sua biografia "My Take On Me", lançado. Nela, ele fala sobre seu hobby: orquídeas crescendo. E como ele, um piano comprado seu pai desde o primeiro dinheiro que ganhou com o a-ha. Ele já deu afastado todos os seus orquídeas. Ele tinha se mudado, já não têm tanta posse, diz Harket. "Eu vivo agora bastante modesto."
O que você faz depois de a-ha?
Volto à minha vida simples com minha esposa e filha de sete anos de idade. Não é o coração da minha vida. Depois do nosso último show em 7 de maio na Noruega Estou rauslaufen descalço e desligar a luz.
SonntagsBlick: Você é 56 e olhar deslumbrante. Como isso funciona?
Morten Harket: zero drogas, zero de álcool. Foi sempre assim. Eu também tenho um curador há 15 anos. Ele às vezes acompanha-me mesmo quando viajam.
Como curador?
Eu sei que o mundo está cheio de curadores, a maioria deles são charlatões. Eu acho que geralmente inconsciente de tais tipos. Mas meu curandeiro é único.
Como assim?
Através dele eu aprendi a prestar atenção ao meu corpo e minha alma, seja no amor ou comer. Mas ele também cura desconforto físico. O nosso sistema é muito complexo. Não pode arrumar tudo. O corpo nos dá sinais quase constante só nós percebemos o mínimo.
Mais especificamente, por favor!
A maioria de nós estão empanturrados e completamente embotados. Nós tornaram-se surdo aos pequenos gritos de nosso corpo. Nós empinar coisas em nós que devemos estar em nosso sistema nunca - por força do hábito, conveniência, porque nós são seduzidos pela publicidade. Meu terapeuta me ensinou a encontrar o equilíbrio. Hoje eu posso, por exemplo, já reconhecido pelo cheiro do café, se é bom para mim ou não.
Comer carne?
Sim, e não muito apertado. Embora me Butchering desgostos mais violentos. Toda esta abundância é um problema enorme. E eu gosto realmente deixar de ser parte dela. Mas nós temos um monte de outros desafios que temos de enfrentar. Nós, seres humanos precisam mudar muito.
Que desafios você fala?
A humanidade nunca foi tão dependente como é hoje: a riqueza de informação, o entretenimento constante. Horror! O que aconteceria, por exemplo, se tivéssemos mundo de repente apagão?
Diga-nos ...
A humanidade giraria, sair do caos total. O planeta estava antes do colapso. Cem anos atrás, ninguém se incomodaria grande, porque se não tivesse havido um par de dias sem eletricidade.
Sem eletricidade, você também não podia dar mais concertos.
Esse seria o menor problema! Capítulo A-ha está acabado para mim de qualquer maneira. Eu tive anos maravilhosos com esta banda. Mas depois dessa turnê é provavelmente conclusão final. Nós três nós simplesmente não estão perto o suficiente para produzir novas placas, constantemente viajando ao redor do mundo e dar concertos.
Dado ainda seria não tem amigos próximos, certo?
Não, mas trabalhando com o a-ha tem que encher-me como as pessoas espirituais. E ela não faz mais. Talvez a coisa toda levou mesmo apenas a partir dos últimos 30 anos.
Por causa do dinheiro que você não iria ficar juntos?
Oh, eu tenho sido recompensado o suficiente por a-ha. Eu tenho que fazer mais nada, eu não necessariamente quer.
E a glória que você não iria perder?
No segundo! Jogando com sucesso e poder nunca me interessou. Eu olho não gosta na TV. Eu não gosto do cara com o microfone. Aliás: Qual deve ser tão grande sobre ele, se você passar horas no hotel tem que esconder, porque fora gritando Centenas de fãs? I conhecer pessoas, em vez de individualmente em massas. Mas a embarcar individualmente em cada, a minha capacidade emocional, o tempo está em falta. Finalmente estou apenas um homem.
Morten Harket enterra a cabeça entre as mãos. Então, ele toma um gole de água. E sorri. A cantora tem apenas (Editor: Edel) sua biografia "My Take On Me", lançado. Nela, ele fala sobre seu hobby: orquídeas crescendo. E como ele, um piano comprado seu pai desde o primeiro dinheiro que ganhou com o a-ha. Ele já deu afastado todos os seus orquídeas. Ele tinha se mudado, já não têm tanta posse, diz Harket. "Eu vivo agora bastante modesto."
O que você faz depois de a-ha?
Volto à minha vida simples com minha esposa e filha de sete anos de idade. Não é o coração da minha vida. Depois do nosso último show em 7 de maio na Noruega Estou rauslaufen descalço e desligar a luz.
ão
Veja também
ao lado, ao contrário, ao vivo, ao mesmo tempo, ao longo, ao invés de, ao menos, ao redor, um ao outro, ao ar livre
Google Tradutor para empresas:Google Toolkit de tradução para appsTradutor de sitesGlobal Market Finder
Sobre o Google TradutorComunidadeCelular
Sobre o GooglePrivacidade e TermosAjudaEnviar feedback
SonntagsBLICK: Sie sind 56 und sehen blendend aus. Wie geht das?
Morten Harket: Null Drogen, null Alkohol. Das war schon immer so. Ausserdem habe ich seit 15 Jahren einen Heiler. Er begleitet mich manchmal sogar auf Reisen.
Wie bitte, einen Heiler?
Ich weiss, die Welt ist voller Heiler, die meisten sind Quacksalber. Ich halte in der Regel nichts von solchen Typen. Aber mein Heiler ist einzigartig.
Inwiefern?
Durch ihn habe ich gelernt, auf meinen Körper und meine Seele zu achten, sei es in der Liebe oder beim Essen. Er heilt aber auch körperliche Beschwerden. Unser System ist sehr komplex. Es kann nicht alles wegstecken. Der Körper gibt uns fast konstant Signale, nur nehmen wir die wenigsten wahr.
Konkreter, bitte!
Die meisten von uns sind vollgefressen und völlig abgestumpft. Wir sind taub geworden für die kleinen Hilfeschreie unseres Körpers. Wir stopfen Dinge in uns hinein, die wir nie in unser System lassen sollten – aus Gewohnheit, Bequemlichkeit, weil wir von der Werbung verführt werden. Mein Heiler lehrte mich, die Balance zu finden. Heute kann ich beispielsweise schon am Geruch eines Kaffees erkennen, ob er für mich gut ist oder nicht.
Essen Sie Fleisch?
Ja, und das nicht zu knapp. Obwohl mich die Fleischindustrie immer heftiger anwidert. All dieser Überfluss ist ein riesiges Problem. Und ich mag eigentlich nicht mehr Teil davon sein. Wir haben aber noch ganz andere Herausforderungen, denen wir uns stellen müssten. Wir Menschen müssen uns dringend verändern.
Von welchen Herausforderungen sprechen Sie?
Die Menschheit war noch nie so abhängig wie heute: vom Wohlstand, von Informationen, der konstanten Unterhaltung. Horror! Was würde beispielsweise passieren, wenn wir plötzlich weltweit Stromausfall hätten?
Sagen Sie es uns ...
Die Menschheit würde durchdrehen, totales Chaos ausbrechen. Der Planet stünde vor dem Kollaps. Vor hundert Jahren hätte sich niemand gross daran gestört, wenn es mal ein paar Tage keinen Strom gegeben hätte.
Ohne Strom könnten Sie auch keine Konzerte mehr geben.
Das wäre noch das kleinste Problem! Das Kapitel a-ha ist für mich ohnehin abgeschlossen. Ich hatte wunderbare Jahre mit dieser Band. Aber nach dieser Tournee ist wohl endgültig Schluss. Wir drei sind uns einfach nicht mehr nah genug, um neue Platten zu produzieren, dauernd um die Welt zu reisen und Konzerte zu geben.
Dazu müssten Sie doch keine engen Freunde sein, oder?
Nein, aber die Arbeit mit a-ha muss mich auch als spirituellen Menschen erfüllen. Und das tut sie nicht mehr. Vielleicht nutzte sich das Ganze auch einfach nur ab in den letzten 30 Jahren.
Wegen des Geldes würden Sie nicht zusammenbleiben?
Ach, ich bin reich genug beschenkt worden durch a-ha. Ich muss nichts mehr tun, das ich nicht unbedingt will.
Und den Ruhm würden Sie nicht vermissen?
Keine Sekunde! Das Spiel mit Erfolg und Macht interessierte mich nie. Ich schaue mich auch nicht gerne im Fernsehen an. Ich mag den Typ mit dem Mikrofon nicht. Im Übrigen: Was soll so toll daran sein, wenn man sich stundenlang im Hotel verstecken muss, weil draussen Hunderte Fans kreischen? Ich begegne den Menschen lieber einzeln als in Massen. Aber um sich auf jeden einzeln einzulassen, fehlt mir die emotionale Kapazität, auch die Zeit. Ich bin schliesslich nur ein Mensch.
Morten Harket vergräbt den Kopf in den Händen. Dann nimmt er einen Schluck Wasser. Und lächelt. Der Sänger hat soeben seine Biografie «My Take On Me» (Verlag: Edel) veröffentlicht. Darin erzählt er von seinem Hobby: Orchideenzüchten. Und wie er seinem Vater vom ersten Geld, das er mit a-ha verdiente, ein Klavier kaufte. Seine Orchideen hat er mittlerweile alle weggegeben. Er sei umgezogen, brauche nicht mehr so viel Besitz, sagt Harket. «Ich lebe inzwischen ziemlich bescheiden.»
Was machen Sie nach a-ha?
Ich kehre zu meinem einfachen Leben mit meiner Frau und meiner siebenjährigen Tochter zurück. Dort befindet sich das Herz meines Lebens. Nach unserer letzten Show am 7. Mai in Norwegen werde ich barfuss rauslaufen und das Licht löschen.





A-ha ontem em Nuremberg, Alemanha:






sexta-feira, 8 de abril de 2016

A turnê continua por mais 3 semanas. Livro do Morten.

A turnê do a-ha de Cast in Steel que passou pelo Brasil e Argentina o ano passado, Rússia, países do leste europeu, Grã-Bretanha, Holanda, França, Áustria e Suíça está na Alemanha onde eles também já fizeram shows até, daqui a três semana terminar na Noruega (no comecinho de Maio).

Enquanto isso, a autobiografia do Morten foi lançada na Alemanha e muitos fãs daquele país já a receberam por correio. Por enquanto, lançado só na Alemanha, mas vendido pela Amazon.

Algumas fotos da turnê:















quarta-feira, 30 de março de 2016

Turnê a-ha e outros projetos

A turnê do a-ha que agora se despede do Reino Unido ainda deve passar pela Holanda, França, Áustria, Suíça, Alemanha (onde serão vários shows) e Noruega onde terminará.

Em quanto isso, no dia 11 o livro autobiográfico do Morten "My take on me" será lançado na Alemanha. Já está em pré-venda na Amazon.

E o Paul está com outro projeto. Saiba mais aqui: http://paulwaaktaar.blogspot.com.br/2016/03/paul-em-outro-projeto.html

quinta-feira, 24 de março de 2016

A-ha hoje na BBC em Londres

O a-ha fez um pequeno show em Londres transmitido ao vivo pela radio BBC 2 (em áudio e video).
Foi uma hora de show e a lista de músicas foi:

_ I've been losing you

- Cry wolf

- Cast in Steel

- Stay on these roads

-Living in the end of the world

-The swing of things

-Crying in the rain

-Mother nature goes to heaven

-Looking for the wales

-sycamore leaves

-Hunting High and low

- Scoundreal Days

-The sun always shines on TV

-Take on me

A banda também,antes, deu uma entrevista respondendo a questões de fãs que pode ser vista em:


http://www.bbc.co.uk/programmes/articles/2qkTF35P0J1QCLtxCFZZ5Y4/a-ha-in-concert

quinta-feira, 17 de março de 2016

A-ha em turnê

O a-ha continua em turnê pela Europa oriental (Letônia e Bielo-Rússia). No dia 25 começarão na Europa Ocidental, em Manchester, Inglaterra. Fotos da turnê têm sido postadas no Instagram oficial do a-ha e podem ser vistas aqui:

https://www.instagram.com/faclubebrasileirodoaha/

domingo, 13 de março de 2016

A-ha continua sua turnê...

O a-ha continua fazendo sua turnê que terminou na Rússiae agora deve passar pela Latívia e Biolorrúsia no leste Europeu nos dia 15 e 17. No dia 25 começa na Europa ocidental/central em Manchester na Inglaterra.

Notícias e fotos da Rússia podem ser encontradas em nosso Twitter:

http://twitter.com/ahabrazil

domingo, 6 de março de 2016

Para assistir ao show do a-ha...

Show do a-ha de hoje completo:

http://youtu.be/w3-AdQIM_d4 (parte 1)

http://youtu.be/-KP87cHBl70 (parte 2)

A-ha volta aos palcos hoje


O a-ha voltou à estrada hoje fazendo show  na Rússia. A cantora Tini, que agora acompanha a banda, cantou em Velvet. O set list foi o seguinte:


Giving Up The Ghost
I've Been Losing You
Move To Memphis
Stay On These Roads
Living At The End Of The World
Crying In The Rain
Velvet
Lifelines
Scoundrel Days
Cry Wolf
Mythomania
Hunting High and Low - Morten forgot the lyrics Emoticon grin
The sun always shines on tv
Foot of the mountain
Under the make up
The living daylights
Take on me

 The Swing of Things, Sycamore Leaves e Mother Nature Goes to Heaven

sábado, 27 de fevereiro de 2016

Entrevista nova do Mags na página oficial da banda

Mags concedeu uma pequena entrevista à página oficial da banda. Nela ele fala que os fãs em todo lugar os fazem sentir em casa.

Ele também falou da turnê que continua (agora pela Europa) com uma lista de músicas diferentes nos shows, isso porque cada Universal (gravadora da banda) local acha que em seu país certas músicas da banda farão mais sucesso.

 Além disso, ele também falou da música "Flags in the air" lançada pelo seu filho Filip em dezembro passado. A música era para fazer parte do novo álbum do a-ha, mas, segundo o próprio Mags, só ele viu potencial nessa música e ela acabou ficando de fora de Cast in Steel.

A entrevista na íntegra pode ser lida em:

http://a-ha.com/news/articles/the-fans-make-us-feel-at-home/

sábado, 13 de fevereiro de 2016

Lançamento de single

Cast in Steel remix foi lançado oficialmente hoje e junto com ele o vídeo da música que mostra imagens feitas no Brasil durante a última turnê da banda em 2015.

Confira:

http://a-ha.com/news/articles/new-single-cast-in-steel-out-now/


terça-feira, 9 de fevereiro de 2016

Mortren se despediu do Brasil na última Sexta-feira

Morten partiu de Belém para a Europa no último Sábado (6.2). A Hydro publicou tudo explicando o porquê de ele ter vindo.
Todas essas informações mais detalhadas e fotos você encontra em nosso Twitter:

https://twitter.com/ahabrazil/status/696143224440807424

https://twitter.com/ahabrazil/status/696148229453410304


sábado, 6 de fevereiro de 2016

Morten se despede do Brasil

Morten deve voltar para a Noruega hoje, de Belém direto para a Europa.
Vamos ficar de olho na Hydro Brasil para ver as novidades.


quinta-feira, 4 de fevereiro de 2016

Novidades sobre Morten e Mags

O Morten continua em Belém e já começou a gravar a propaganda para a Hydro. Todas as informações podem ser conferidas aqui:

twitter.com/ahabrazil

Magne está com uma exposição chamada Marginália:

https://instagram.com/p/BBVDX3yv8IM/

terça-feira, 2 de fevereiro de 2016

Magne F nomeado por ministro da Cultura norueguês

Informações diretas da página oficial do a-ha:

http://a-ha.com/news/articles/magne-furuholmen-chairman-for-bergen-international-festival/

Mais sobre o Morten em Belém

"ontem dia 01/02/16, começou a gravação do comercial da Hydro estrelado pelo nosso querido Morten Harket.
Pela reportagem, o responsável pelo comercial é o renomado diretor norueguês Ray Kay, que já gravou vídeo clipe da Lady Gaga, Justin Bieber, Beyonce entre outros. E ainda fala que Morten vai interagir em Português. Tem uma equipe da TV2 norueguesa acompanhando as gravações, vamos aguardar por novidades.
Ahhh, eles comentam a incrível popularidade do A-ha no Brasil!!!" - do grupo I call your name a-ha.

Link onde estão as informações: http://www.p4.no/story.aspx?id=646840

sábado, 30 de janeiro de 2016

Morten no Brasil

O Morten passou pelo aeroporto de Guarulhos ontem e foi para Belém, dizem que para gravar uma propaganda para a Hydro. Em Belém ele foi a um restaurante japonês. Abaixo fotos e relatos:





quarta-feira, 6 de janeiro de 2016

Nominação após 15 anos

Segundo o jornal norueguês Dagbladet o a-ha foi nomeado, após 15 anos, para o prêmio Spellman Awards que acontece na Noruega.